Tony Tcheka, abalado pelos acontecimentos que mais uma vez conturbaram dramaticamente a Guiné-Bissau (o golpe militar em 2012), procura, pelo instrumento de sua arte poética, um meio para curar-se do trauma de tão repetida desesperança. Como resultado, eis este livro reunindo gritos, clamores, desabafos, protestos, indignação e relembranças, em um enredamento inesperado e bem sucedido, imerso em um contexto histórico bem definido, um livro de poemas em que o autor protagoniza a narração de sua dor.

Em quase meia centena de poemas, a fonte inspiradora que sempre nutriu o poeta permanece: a Guiné e suas gentes.

(Moema Parente Augel)

Obra em publicação.