Um Falcão no Punho corresponde a passagens do diário dos anos 80 de Maria Gabriela Llansol, pouco antes do seu regresso de um longo exílio na Bélgica, local de refúgio do marido que fugira das guerras coloniais em África. É aqui que Llansol começa a procurar uma ligação entre a Europa Central e a Península Ibérica desde o século XVI, percebendo que as convulsões sociais e religiosas na Europa Central durante a Reforma protestante e a Guerra dos Camponeses corresponderam à descoberta de novas áreas geográficas da Península Ibérica.

Durante o exílio, Llansol envolve-se plenamente no pensamento da época da Reforma, descobrindo, assim, a música de Johann Sebastian Bach. Nos seus diários, ganha forma a ideia de um encontro fictício entre Bach e Fernando Pessoa.

Obra em publicação.