O ator, encenador, dramaturgo e diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II (TNDM), Tiago Rodrigues, é o vencedor do 33º Prémio Pessoa. Aos 42 anos, Tiago Rodrigues, que segundo o júri “é hoje presença regular nos principais palcos europeus”, é a segunda figura do teatro a arrecadar este importante prémio.

Tiago Rodrigues criou em 2003, com Magda Bizarro, a estrutura “Mundo Perfeito”, produtora de mais de 30 peças de teatro. Foi professor convidado na escola de dança contemporânea PARTS, em Bruxelas, e em Portugal deu aulas na Universidade de Évora, Balleteatro e Escola Superior de Dança de Lisboa, tendo ainda coordenado a única licenciatura em Artes Performativas de Lisboa, na ESTAL. Foi ator e argumentista para cinema e televisão. A partir de 2010 começou a escrever as suas próprias peças de teatro, que lhe valeram vários prémios em Portugal e no estrangeiro. Em 2015 foi nomeado diretor artístico do TNDM. Atualmente está a trabalhar com o elenco da Royal Shakespeare Company, numa adaptação de dois romances de José Saramago, “Ensaio sobre a Cegueira” e “Ensaio sobre a Lucidez”.

Em 2016, Tiago Rodrigues e o TNDM, em parceria com o Camões Berlim, foram convidados a apresentar duas peças na Bienal de Wiesbaden, na Haus Hebbel am Ufer e no Kunstfest Weimar, por ocasião do centenário da instituição. Mais tarde, em 2018, o TNDM participou no festival internacional Theaterformen Braunschweig com “Sopro” de Tiago Rodrigues.

O Prémio Pessoa, atribuído pela primeira vez em 1987 ao historiador José Mattoso, é uma iniciativa conjunta do Jornal Expresso e da Caixa Geral de Depósitos e premeia anualmente uma personalidade portuguesa que se tenha destacado nas áreas da Cultura, Ciência, Artes ou Literatura. Figuras como, por exemplo, Maria João Pires, António Damásio, Vasco Graça Moura ou Rui Chafes foram já distinguidos com este prémio.