Isabela Figueiredo escreveu um livro autobiográfico sobre o fim da era colonial em Moçambique. Em Portugal, o livro espoletou um debate aceso sobre colonialismo e raciscmo. A obra está agora disponível em alemão.

Caso tenha perdido a emissão “Büchermarkt” de ontem na rádio Deutschlandfunk, pode ler aqui a crítica de Tilo Wagner ao livro “Roter Staub. Mosambik am Ende der Kolonialzeit”, a edição alemã do “Caderno de Memórias Coloniais” da escritora Isabela Figueiredo, lançada o ano passado pela Weidle Verlag, com tradução de Markus Sahr.

Isabela Figueiredo realizou no final de 2019 uma itinerância literária na Alemanha, organizada pelo Camões Berlim, durante a qual apresentou esta sua primeira obra em alemão.