O Camões Berlim apresenta “Inverted Landscapes”, uma performance e exposição da autoria de André e. Teodósio e do Teatro Praga, com curadoria de Inês Grosso. Trata-se da quinta exposição no Camões Berlim fruto da cooperação entre esta delegação do Instituto Camões e a Fundação EDP/MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, cujo objetivo consiste em apresentar o trabalho de jovens artistas portugueses na capital alemã.

Tendo como ponto de partida uma ligação entre Lisboa e Berlim, “Inverted Landscapes” recupera a história de duas figuras das artes performativas portuguesas que trocam de destinos geográficos em busca de um objetivo artístico comum: Ruth Aswin, alemã, vem dançar para Portugal nos anos 30 do século XX, e Valentim de Barros, que tinha sido seu aluno, foge para Berlim à procura de trabalho e liberdade. “Inverted Landscapes” é assim uma homenagem ao desenraizamento comum aos dois artistas, bem como a duas formas de viver que tiveram sempre mais história do que geografia.

As performances, realizadas por Ana Tang, Aurora Pinho e Paulo Pascoal, decorrem nos primeiros dois dias da exposição, sendo precedidas de conversas com o autor André e. Teodósio.

Devido à atual situação, estão por confirmar novas datas para os eventos.