Decisivo para a modernidade literária portuguesa, o romance de estreia de um dos grandes escritores do século XX é uma daquelas obras que só raramente aparecem.

Primeiro romance de Nuno Bragança, A Noite e o Riso (1969) é uma obra incontornável, considerada decisiva para a modernidade literária portuguesa. Um texto que alia a linguagem poética à experimentação formal, e uma certa dose de surrealismo às experiências do nouveau roman francês. Como refere Manuel Gusmão no seu prefácio à 3.ª edição, este é um romance de crescimento e aprendizagem, que tem na ironia o seu «princípio construtor».

Fonte: D. Quixote, Leya

Requisitar excerto traduzido