Eu sou a minha poesia reúne uma selecção feita por Maria Teresa Horta dos poemas que considera serem os essenciais da sua obra. Um longo percurso poético, iniciado em 1960, que se mantém vivo e cuja actualidade e ousadia a colocam na vanguarda da poesia portuguesa.

De cunho marcadamente feminista e erótico, uma poesia de intervenção e desobediência, que dá voz ao imaginário e ao desejo da mulher.

Uma obra literária ímpar que é um grito de coragem e uma afirmação de liberdade.

Fonte: Leya

Requisitar excerto traduzido