Aaron Klein, de Paulo José Miranda, sobressai no panorama da literatura Portuguesa contemporânea como uma intensa busca da interioridade mais íntima do ser humano, a partir da figura de Aaron Klein, judeu regressado a Lisboa, depois de ter deixado a cidade, ainda criança, partindo com os pais rumo a Israel, a terra prometida.

A partir do ponto de vista das várias personagens que habitam o livro, num discurso vívido, denso e polifónico, a vida, o pensamento, a escrita de Aaron Klein são reconstruídos como um mosaico, em que ficção e realidade se cruzam, para esboçar um breve tratado da infelicidade humana. Personagens reais como Helder Macedo, George Steiner, Ricardo Ben-Olien, Fernando Gil juntam-se a Vera, Ruth Munzer ou Aaron Klein, para dissolver as barreiras entre ficção e real, literatura e ensaio, mostrando que, nos livros, como na vida, «todos somos estrangeiros sobre a terra».

Fonte: Abysmo

Requisitar excerto traduzido